Pontos Principais

  • Produção brasileira pode saltar em rotação com a cana-de-açúcar.
  • Cerca de 1 milhão de hectares de cana são reformados no CS do Brasil por ano.
  • São Paulo é responsável por 90% da produção brasileira de amendoim.

Com a demanda em alta no mercado internacional, o amendoim vem chamando a atenção dos produtores rurais brasileiros, com destaque para o Centro-Sul. Os principais polos produtores no Brasil se concentram em Jaboticabal, Marília, Tupã e Dracena.

No Estado de São Paulo, o amendoim é cultivado em rotação com a cana-de-açúcar, em uma dobradinha que vem dando certo – e faz muito sentido. Afinal, São Paulo é responsável por 55% da área colhida de cana no país.

Só no ano passado, foram colhidas cerca de 788 mil toneladas de amendoim em São Paulo, quase 14% a mais do que no ciclo anterior. Não custa lembrar que o Estado é responsável por cerca de 90% da produção brasileira da commodity.

Não faltam bons motivos para o produtor rural investir no amendoim. Para começar, a planta ajuda a fixar o nitrogênio no solo, o que é essencial para o desenvolvimento da cana e outras culturas.

O amendoim também exerce um papel importante no controle de pragas e doenças. E há ainda outro ponto positivo: a cultura se adapta bem a vários tipos de solo.

Do lado financeiro, a valorização do amendoim no mercado internacional representa outra vantagem. Para se ter uma ideia, o preço médio do amendoim no estado de São Paulo em janeiro estava 20% acima do mesmo período do ano passado. 

Fonte: IEA (Instituto de Economia Agrícola).

Um outro fenômeno vem impulsionando o cultivo de amendoim no Centro-Sul. O preço da soja, que também é usada na reforma do canavial, vem desapontando os produtores. 

Fonte: Bloomberg. 

Enorme Potencial

Após uma média de 6 cortes (6 ciclos da cana) a área de cana passa por uma renovação, chamada de reforma do canavial. Simplificadamente, os passos são:

  • Destruição da soqueira da cana,
  • Calagem,
  • Preparo do solo,
  • Plantio de uma cultura anual de rotação,
  • Colheita das culturas anuais,
  • Novo plantio de cana, logo em seguida.

A cultura escolhida para a rotação é utilizada como um adubo verde, que age não só como uma cobertura, mas também pode melhorar as propriedades do solo. Entre as culturas mais utilizadas temos a crotalária, soja e amendoim. 

Todo ano, por volta de 1mi de hectares de cana são reformados no CS Brasil. Isso é 4 vezes mais do que a área total de amendoim plantada no Brasil. Se metade da área de reforma utilizasse o amendoim para rotação, a produção poderia saltar das 900 mil toneladas atuais para mais de 2.5 milhões de toneladas – considerando uma produtividade média de 3.6ton/ha. Isso colocaria o Brasil perto da produção anual dos Estados Unidos, hoje o quarto maior produtor mundial. 

Se metade da área de reforma utilizasse o amendoim para rotação, a produção poderia saltar das 900 mil toneladas atuais para mais de 2.5 milhões de toneladas – considerando uma produtividade média de 3.6ton/ha. Isso colocaria o Brasil perto da produção anual dos Estados Unidos, hoje o quarto maior produtor mundial.

Novas Fronteiras

O amendoim também está sendo mais cultivado no Mato Grosso do Sul, com o agricultor de olho nas oportunidades de geração de caixa que a commodity vem representando.

Para se ter uma ideia, a área no Mato Grosso do Sul passou de 1,3 mil hectares (ha) na safra 2018/2019 para 20 mil ha na última temporada.

Fonte: CONAB.

A expectativa é que a produção continue crescendo, inclusive atraindo grandes grupos. A Cooperativa Casul, que desde 2020 exporta amendoim para a Europa, anunciou um investimento de BRL 117,5 milhões para a construção de uma indústria de beneficiamento do alimento em Bataguassu, no Mato Grosso do Sul. As obras devem começar neste ano, segundo a Casul.

No Centro-Oeste, o Mato Grosso também começa a despontar como um Estado produtor, atraindo grandes empresas.

No ano passado, a Beatrice Peanuts, especializada no plantio e na exportação de amendoim, instalou uma unidade de beneficiamento em Nova Ubiratã, a menos de 100 quilômetros de Sorriso, um dos maiores polos produtores de grãos do Brasil.

A LC Sementes, um dos fornecedores da Beatrice Peanuts no Mato Grosso, vem cultivando amendoim na região há alguns anos, em uma área de 1,2 mil hectares. A expectativa é expandir para 2 mil hectares neste ano.

“O amendoim pode se tornar uma grande cultura especialmente em áreas com fertilidade mais restritiva, então é uma oportunidade optar pela oleaginosa em locais onde a soja não vai tão bem”, diz José Antonio de Souza Rossato Júnior, presidente da Coplana, cooperativa formada por produtores de cana-de-açúcar e culturas de rotação com a cana. 

A Coplana, que reúne 1.200 cooperados, atua em uma área de 23,4 mil hectares com foco no CS do Brasil. Recentemente, a cooperativa começou a estender sua atuação para o Centro-Oeste, com um projeto-piloto de cultivo de amendoim em Goiás.

Sustentável

O cultivo do amendoim também pode ajudar no debate entre alimentos e combustíveis, especialmente em rotação com a cana-de-açúcar. Na mesma área é possível plantar mais de um tipo de alimento e ao mesmo tempo produzir energia limpa, o etanol. “Essa é uma produção que busca a máxima sustentabilidade”, afirma Júnior. 

Ana Zancaner

Ana lidera a equipe de análise da CZ no Brasil. Sua equipe cobre os principais produtos agrícolas e energia, e o movimento dessas commodities do interior para as cidades para consumo ou para os portos para exportação. A equipe de análise do Brasil utiliza sua capacidade para ajudar os clientes com trabalhos de consultoria e consultoria de gerenciamento de riscos, e também apoia nossos negócios locais de finanças corporativas e negociação física. Ana ingressou na CZ como estagiária em 2013 e se formou na Universidade Insper São Paulo em 2014, com um diploma em Administração de Empresas.

Mais deste autor